Como fazer um currículo bem feito?

Percebemos que a dúvida de como estruturar um currículo é bem frequente aos futuros profissionais do mercado de trabalho, sendo assim, resolvemos trabalhar  novamente a  melhor forma de se estruturar um currículo, valorizando as informações. Para isso, contamos com a ajuda da profissional de Recursos Humanos da SYDLE, Alessandra Ravaiani. Abaixo, você terá acesso a um passo-a-passo de como elaborar um currículo, basta seguir as orientações.

Clique no currículo para visualizar.

O currículo é a porta de entrada para qualquer processo seletivo. Veja como reunir as informações de forma mais assertiva possível para fazer um bom currículo:

1° passo: Dados pessoais. Comece seu currículo com seus dados pessoais, coloque seu nome, telefone (com DDD),e-mail e endereço, no mínimo. Não é obrigatório, a não ser que a empresa solicite colocar CPF, RG, data de nascimento e estado civil.

2° passo: Perfil Profissional. Esta é a mais importante etapa do currículo. É o momento de escrever, em torno de 5 linhas, um resumo de suas experiências, formação, objetivo profissional e possíveis incoerências. Se o currículo vitae tiver essa etapa, será o primeiro local que o recrutador irá ler. Por exemplo, se você for de uma cidade e estiver concorrendo a uma vaga em outro local, ou se tiver experiências somente em uma área específica e tiver concorrendo a outra área, explique isso neste espaço. Por exemplo: Estudante de Psicologia, atualmente reside em SP e possui experiência de um ano na área clínica. Hoje procura oportunidade na área de Recursos Humanos em Belo Horizonte. Observem que o “Perfil profissional” foi escrito em terceira pessoa.

3° Passo: Escolaridade. Se for um candidato de 2° grau, coloque a escola e o ano em que estiver cursando. Se for um candidato do ensino superior, torna-se desnecessário escrever sobre o 1° ou 2° graus. Foque na graduação, dizendo o nome da Instituição, nome do curso, data de início e fim ou previsão de conclusão se ainda estiver cursando. Utilize as mesmas dicas para Pós-graduação, Mestrado ou até outras graduações e não deixe de especificar se o curso está concluído ou em andamento.

tenha o currículo elaborado por especialistas

4° passo: Experiência Profissional. Momento de descrever suas experiências, diga a Empresa, Cargo, Período (data de início e fim) e Atividade. Dizer o cargo é muito importante, porém não deve se limitar a ele. Nomenclaturas para as funções podem variar muito de empresa para empresa, por isso a importância do campo Atividade, será o momento de descrever o que fazia em cada experiência, dizendo suas responsabilidades e rotina de trabalho. Também é preciso colocar data de início e fim, e não coloque apenas o ano, os meses são fundamentais. Um candidato que coloca: de 2009 a 2010, pode se referir de um mês a dois anos de experiência e isso fará muita diferença. Experiências curriculares e estágios também devem ser colocados, principalmente se não houver experiências profissionais para descrever ou citar. Porém experiências antigas e que não possuem relação com a vaga pretendida, não precisam ser descritas.

5° passo: Formação Complementar. Momento de falar sobre cursos menores, de curta duração. Escreva a instituição, carga horária e ano de realização. Línguas também podem ser descritas neste espaço ou podem criar um tópico a parte para Idiomas. Diga o nível, por exemplo, Básico, Intermediário ou Avançado. Coloque em qual instituição fez seu curso de idioma e há quanto tempo estuda aquela língua.

6° e último passo: Conhecimentos complementares. Descreva seus conhecimentos em informática e o nível de seu conhecimento, além de outros que julgar relevantes. Por fim, vamos a algumas dicas gerais:

  • Tente não ultrapassar 2 páginas ao fazer seu curriculum. É garantido que o recrutador não irá ler o currículo inteiro se este for muito longo;
  • Erros de português são inaceitáveis no currículo, cuidado com a escrita;
  • Não diga características pessoais como: Sou dinâmico, aprendo rápido, bom relacionamento interpessoal. Qualquer candidato pode dizer isso, o momento da entrevista ou de uma possível dinâmica, será o momento de demonstrar suas habilidades comportamentais e pessoais e não no currículo;
  • Cuidado com a organização. Deixe as informações fáceis de serem encontradas. Separe os títulos com Negrito ou Caixa alta;
  • Escreva o suficiente, sem enrolar. Foque naquilo que deve ser dito;
  • Ao enviar o currículo, diga no assunto do e-mail o nome da vaga para qual deseja se candidatar, isso ajudará o trabalho do recrutador;
  • E a mais importante de todas as dicas: Não minta, seja sincero e coerente.

Essas características completam o modelo de um bom currículo! E se você for convidado para continuar no processo seletivo após o envio de seu currículo, você já está na frente de muitos candidatos! Aí é só caprichar na entrevista! Boa sorte!

Alessandra Ravaiani

Alessandra é Psicóloga e Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua com Recursos Humanos há mais de 7 anos e, como colaboradora do Blog do Contratanet, compartilhará conosco sua vivência e experiência.

Você pode gostar também de...

  • Angela

    Como fazer um bom resumo/perfil profissional?

  • Juliana

    Olá, tenho 16 anos estou cursando o segundo ano do ensino médio, não tenho experiencia alguma porém gostaria muito de conseguir um emprego que se refere a logística oferecido pelo “jovem aprendiz”. Oque fazer no meu currículo já que “não tenho muito o que oferecer”! ( ponto de exclamação pois no teclado não tem ponto de interrogação).

    • https://www.contratanet.com.br/ Contratanet

      Olá Juliana, boa tarde.
      Se não tem experiências, você não colocará esse campo no currículo, ok? Deixe claro no campo de “Perfil Profissional e Objetivos”, a sua intenção, ou seja, conseguir uma vaga como Jovem Aprendiz.
      Siga as dicas do post e se quiser, temos um serviço que poderá ajudá-la. Chama-se Consultor Online. Acesse: https://consultoronline.contratanet.com.br/
      Abraços.

  • https://www.contratanet.com.br/ Contratanet

    Olá Everton,
    Boa tarde.

    Como não vimos seu currículo e não conhecemos os motivos que fizeram com que você saísse rápido de suas experiências, iremos falar de forma geral. Experiências curtas trazem certa insegurança ao recrutador. Pois o que garante que você não sairá rápido novamente? Então o importante é avaliar bem a proposta antes de aceitá-la, tire suas dúvidas. Além disso, procure justificar esses motivos, mostrando coerência em suas decisões.
    Abraços.